Category Archives: Blogs

Bloqueio ao WordPress.com: para que complicar tanto?

Não ao bloqueio ao WordPressEu não consigo entender o “porquê” de tanta complicação em relação ao bloqueio do tal blog hospedado no WordPress.com que, supostamente, continha conteúdo ilegal. Aliás, o tal blog já não foi retirado do ar? Suponho que sim, e ao mesmo tempo me pergunto qual a “estratégia” utilizada para tal, quais os “canais” utilizados e, além de tudo, me pergunto também qual o motivo de tanta confusão, ainda. Além disso, por que a Abranet afirma que muitos provedores já estão se mobilizando a fim de bloquear o WordPress.com no Brasil?

Primeiro a Abranet disse que o bloqueio de um único blog era impossível, depois voltou atrás, afirmando que tal bloqueio seria possível, mas extremamente difícil de ser levado a cabo. Agora a própria Automattic se manifestou, dizendo que é possível, sim, o bloqueio de um único blog hospedado no WordPress.com.

Tantas opiniões e informações divergentes, bem como esta aparente falta de “conhecimento de causa”, chegam a causar espanto, pois estamos falando de setores onde se supõe que gente com muito mais “conhecimento de causa” esteja presente. Aliás, não acredito que a coisa seja tão complicada assim, acho que trata-se de uma certa má vontade de todos os lados envolvidos: provedores, Abranet e judiciário.

Aliás, todo este alvoroço poderia ter sido resolvido rápida e sutilmente através do preenchimento deste simples formulário, ou então, se nosso judiciário tivesse entrado em contato diretamente com o WordPress.com. Se isto foi feito, causa mais estranheza ainda o atual “andar da carruagem”. :(

Para que tanta confusão? Para que privar-se cerca de 1 milhão de autores brasileiros de acessarem seus blogs hospedados no Worpress.com, isto sem contarmos com os visitantes que, sem dúvida, também se beneficiam de tal enorme diversidade de conteúdo?

Mais uma vez vê-se que a justiça brasileira é extremamente tacanha, além de não familiarizada com o funcionamento e a utilidade da internet. Em tempos de fisl9.0 é lamentável termos de tomar conhecimento de atitudes e acontecimentos como este, onde as ações mais simples foram simplesmente ignoradas, apesar da maior chance de sucesso e da minimização das “dores de cabeça” que as mesmas sem sobra de dúvidas proporcionariam a todos.

Mais uma vez, vamos torcer para que o bom senso volte a imperar nos setores envolvidos, e que uma multidão enorme não acabe pagando pelos erros de um único infrator.

Fonte: IDGNow

Informações adicionais

Blog “Não ao bloqueio do WordPress no Brasil

Compare preços de: DVD’s, câmera digital, DVD player, filmadora, monitor, celular, impressora multifuncional, notebook, PC

Plágio: o que motiva alguém a cometê-lo?

Bom, em primeiro lugar peço desculpas por este post, o qual não tem muito a ver com o “escopo” do Open2Tech. Mas após ver alguns artigos de minha autoria, criados por mim, sendo copiados sem minha autorização, na maioria das vezes sequer com a citação da fonte, me senti muito irritado e ofendido. :(

O engraçado é que em todas as ocasiões os blogs “plagiadores” estavam hospedados no Blogspot, e com muito esforço e diversos comentários postados (a maioria não respondidos pelos “autores”) nos tais blogs, consegui que meus artigos fossem retirados.

Mas com um determinado indivíduo, que copiou este meu artigo aqui, não consegui nada. E o engraçado é que o cidadão cita meu blog como “fonte“, pode uma coisa dessas? Vejam abaixo:

Artigo plagiado

Até parece que ele utilizou meu artigo como base, apenas, (algo normal e legal), e então teceu seus comentários em cima do que escrevi, ou então escreveu um artigo totalmente diferente do meu.

Mas eu não servi de fonte: ele simplesmente copiou meu artigo e colou em seu blog. E só descobri a falcatrua quase um mês depois de praticada, devido ao novo widget presente na dashboard do novo WordPress 2.5, que mostra todos os blogs que estão me “linkando”. Muito legal, não? Só não sei porque demorou tanto tempo pra aparecer no novo widget.

E o pior de tudo é descobrir que o “cidadão” ainda por cima está “roubando” tráfego do meu blog, pois nem o trabalho de efetuar uma simples alteração na cópia ele teve, e a imagem exibida lá é a que está hospedada aqui, em meu blog, em minha conta de hospedagem, paga com meu dinheiro. Quer dizer, além de copiar meu conteúdo ainda gasta minha banda? Brincadeira, né?

Bom, ativei a proteção de HotLink, no Cpanel, e autorizei somente os domínios que estão autorizados a exibirem meus artigos. Fico imaginando que, na pior das hipóteses, o indivíduo poderia ter entrado em contato comigo, não? Citações, utilização de um artigo como “fonte”, etc, são normais e saudáveis, mas o que ele fez foi algo, em minha opinião, totalmente errado.

Bom, a partir de agora, a imagem abaixo será exibida sempre que fatos deste tipo ocorrerem, nos sites/blogs dos “plagiadores”:

Proteção contra HotLink

Eu não consigo entender o que leva esse tipo de gente a cometer plágio. E, aliás, se tivermos um pouco de paciência e navegarmos um pouco pelo blog do cidadão acima mencionado, poderemos ver que não sou a única vítima deste senhor, o que aliás não me espanta. Não vou comentar nada a este respeito, pois o que me importa é o meu conteúdo, neste momento.

Outro dia estava lendo este interessante artigo no blog “fique-rico.com“, a respeito do stress, da exaustão e de todos os problemas que um blogueiro enfrenta em sua rotina diária ao tentar manter uma continuidade, uma freqüência na escrita e, ao terminar de ler o referido artigo pensei comigo que o plágio é também uma das grandes preocupações que passam pela cabeça do autor de um blog. Pelo menos comigo é assim, e em pouco menos de 6 meses de existência do Open2Tech, infelizmente já passei por situações bem estressantes neste sentido.

Não que devemos nos sentir acanhados e/ou “largar mão” daquilo que estamos fazendo com amor, com muito esforço, suor e dedicação, mas quando descobrimos que aquilo que produzimos está sendo utilizado por outros sem nosso conhecimento e/ou autorização, que estamos sendo “roubados”, é inevitável que tentemos imaginar as implicações disto tudo, e também quais as motivações de alguém que pratica atitudes tão infelizes.

O blogueiro sério dedica grande parte de seu tempo a escrever, e este é um trabalho sério, que requer dedicação, pesquisa, esforço, perseverança, etc. Aí, quando nos deparamos com criaturas como a acima citada, que acham mais fácil “roubar” do que “criar”, é inevitável nos sentirmos aviltados, irritados, e tentarmos pelo menos conscientizar a pessoa de que aquilo não é correto.

Eu ainda estou no início da “caminhada”, tenho muito a aprender. Muito mesmo. Mas algo que você, hipotético leitor que porventura esteja lendo este post, pode ter certeza, é que jamais vai ver por aqui conteúdo plagiado.

Se utilizo uma fonte, esta serve apenas como base, como faço diversas vezes com posts da Mozilla Foundation, por exemplo, bem como com outras diversas outras fontes. Assino inúmeros feeds, e muitas vezes tomo conhecimento de uma determinada notícia através destes, e o que faço então é escrever um artigo sobre o que li, com minhas impressões, minha opinião, etc. Mas algo totalmente diferenciado. É a minha opinião, são minhas as palavras ali contidas, é meu o conteúdo. É normal, é claro, “citarmos” trechos de outros autores, traduzirmos algo, etc. Mas CTRL+C e CTRL+V puramente, não. É revoltante e lamentável quando percebemos que nossa produção é duplicada, com finalidades as mais diversas e muitas vezes “em massa”, como se nada mais fosse do que um amontoado de palavras.

Aliás, não deixa de ser ridícula a posição do blogspot em relação a este tipo de ocorrência. Quando se preenche este formulário aqui, denunciando o plágio, resumindo, o que acontece é que se recebe “em troca” um e-mail automático solicitando que a denúncia seja feita através de “fax” ou “carta” (puxa, em que “era” estamos?).

Além disto, o documento deve ser “assinado” e enviado por fax ou por carta, conforme dados abaixo:

Google, Inc.
Attn: Blogger Legal Support, DMCA complaints
1600 Amphitheatre Pkwy
Mountain View, CA 94043

OR Fax to:

(650) 618-2680, Attn: Blogger Legal Support, DMCA complaints

Caramba, isso me lembra o Brasil e toda a bur(r)ocracia que ocorre em nossos órgãos públicos, por exemplo. Bom, não vou nem comentar mais nada sobre isso, também, e após este stress todo a vontade que dá é tomar “umas e outras”… hehehe :(

Bom, é isso amigos. Um grande abraço a todos. Postei isto apenas como um desabafo, e apenas porque nenhuma outra atitude surtiu efeito com o cidadão acima mencionado.

Compare preços de: cerveja, aguardente, tequila, vinho, vodka, adega de vinhos, outras bebidas alcoólicas

Broken Link Checker: Gerencie problemas com links no seu blog

O WordPress provocou em mim, em pouco tempo de utilização, a mesma “mania” que o Xoops provocou, quando iniciei o uso do CMS há alguns anos atrás. Confesso, “sem vergonha” alguma, que me tornei um “maníaco por plugins”. Portanto, podem esperar, pois vou postar diversos tutoriais, reviews e impressões a respeito dos diversos plugins que já instalei aqui no Open2Tech, ou que ainda vou instalar. :)

Ao se visitar o diretório de plugins no WordPress.org vê-se que a quantidade de plugins disponíveis para o mesmo é enorme. Neste exato momento, o marcador mostra 1.939 plugins disponíveis, e o contador de downloads está em 4.082.686 downloads! Um número bem expressivo, não?

São tantas as funcionalidades e facilidades proporcionadas pela instalação de plugins, que realmente é impossível instalar um só. :)

É claro, lembre-se de efetuar um backup completo de seu blog (base de dados e arquivos) antes de instalar qualquer plugin pois, como se sabe, às vezes problemas acontecem e backups são fundamentais nestes momentos.

Organização é fundamental

organizacao2

Acredito que a organização de um blog e/ou site é fundamental. Esquema de cores, layout, tradução (ainda falta fazer algumas coisas neste sentido por aqui, eu sei), menus e categorias são todos quesitos que, em minha opinião, devem sempre funcionar como um “facilitador” ao usuário, e não como um entrave.

Algo muito chato, por exemplo, ocorre quando o visitante se depara com “links quebrados”. Ou seja, ao ler determinado artigo e se interessar pelo assunto, é normal que o visitante seja levado a buscar maiores informações a respeito do tema. Se você é como eu, e inclui estas “informações adicionais” em seus artigos através de links, seja para downloads, informações relacionadas a suporte técnico, fóruns, etc, deve também saber que, muito provavelmente, estes links podem em algum momento “quebrarem”, ou seja, não mais funcionarem.

Por exemplo, digamos que em um determinado artigo você comentou a respeito de determinado software, e incluiu o link para download do mesmo. Digamos que este link seja algo como “softwaretal.com.br/versao_1.9.exe”, e dias depois o desenvolvedor lance uma nova versão e o link seja alterado para “softwaretal.com.br/versao_2.0.exe”.

Resultado: seu blog e/ou site contém um link quebrado, que não mais funciona. É claro, qualquer visitante pode descobrir o “problema” e se acertar por si só, mas não seria muito melhor se o autor do site/blog pudesse ser notificado quando determinados links estivessem “quebrados”, e pudesse, então, acertar este problema?

E vale notar que acima falei apenas a respeito de links para download, mas as “possibilidades” são inúmeras, e todo e qualquer link pode vir um dia a não mais funcionar, por fatores os mais diversos, desde alterações na url, conforme acima citado, até fatores como por exemplo sites fora do ar, etc.

Uma solução bem interessante

Navegando pelo diretório de plugins do WordPress.org descobri um plugin muito interessante, e que acaba ou, pelo menos, minimiza este problema, pois identifica todo e qualquer link quebrado em seu blog e permite que você tome diversas ações a respeito. Trata-se do “Broken Link Checker“, desenvolvido pelo W-Shadow.com, o qual já está instalado e funcionando aqui no Open2Tech. :)

O plugin detecta automaticamente qualquer link quebrado existente em seu blog, seja em posts ou em páginas, bem como imagens com problemas semelhantes, e oferece diversas maneiras de acabarmos com o problema. Sua instalação é super simples, não requer a edição de nenhum código em seu WordPress ou no tema em utilização, e sua utilização, principalmente, é fácil ao extremo. Basta instalar e desfrutar dos benefícios. :)

Abaixo você pode conferir como se dá a (super simples) instalação e a utilização do plugin:

Instalando o Broken Link Checker

  1. Primeiramente efetue o download do pacote de instalação, neste link.
  2. Descompacte o arquivo “broken-link-checker.0.3.5.zip baixado, utilizando, por exemplo, o excelente 7-Zip.
  3. Efetue o upload da pasta obtida após a descompactação (broken-link-checker) para o diretório /wp-content/plugins/ de seu WordPress, utilizando um cliente FTP qualquer. Recomendo o excelente e opensource Filezilla. :)
  4. Acesse a área de administração de seu WordPress, e na opção “plugins“, ative o “Broken Link Checker”. Pronto, o plugin foi instalado com sucesso. :)

Configurando o Broken Link Checker

Para acessar a área de administração do Broken Link Checker, basta acessar a opção “Settings” (configurações) na área de administração de seu WordPress e em seguida utilizar a opção “Link Checker”. Você será então direcionado à página abaixo:

Broken Links Checker - Opções

Como você pode perceber pela imagem acima, o plugin exibe a quantidade de links quebrados encontrados, e também permite configurar a “periodicidade da checagem”. No meu caso, deixei no valor padrão mesmo, o qual é “a cada 72 horas“. Acredito que seja mais do que suficiente.

Existem algumas outras opções, como por exemplo a “Exclusion list” (lista de exclusão), onde você pode definir algumas “palavras-chave” para que o plugin não verifique url’s que contenham as mesmas. Existe também um botão chamado “Re-check all pages”, o qual permite “forçar” uma nova busca por links quebrados em seu blog, e também uma opção que em meu caso deixei desativada (e até mesmo o próprio autor do plugin recomenda que ela assim fique).

Trata-se da opção “Delete post option“, a qual faz com que seja exibido um link chamado “Delete post” ao lado de cada post, na lista de posts com links quebrados exibida pelo plugin. Sinceramente, não vejo utilidade para tal opção, e recomendo que você não a utilize, para evitar quaisquer “acidentes”.

Uma outra funcionalidade bem interessante oferecida pelo plugin é a “Broken Link CSS“, também disponível nas configurações do plugin (e que você pode conferir na imagem acima), a qual faz com que os links quebrados sejam “destacados” nos posts e/ou páginas, através da utilização de uma determinada classe CSS, a “broken_link“. Esta opção vem ativada por default, e recomendo que você a deixe assim. O resultado você pode conferir abaixo. É claro que no exemplo abaixo o “erro” foi intencional, pois eu estava descrevendo uma das funcionalidades do OpenDNS. :)

Mas veja o que o plugin “faz” com um link quebrado, até que você corrija o problema:

Exemplo de link quebrado

Informações em sua dashboard

O plugin foi muito bem desenvolvido e prima pela facilidade de uso, ao ponto de exibir logo “de cara”, na dashboard de seu WordPress, uma opção chamada “Broken Links“, mostrando a quantidade de posts contendo links quebrados e também um link para acesso à lista contendo os mesmos:

Broken Links Checker - Dashboard

No exemplo acima, pode-se notar que o plugin detectou 7 links quebrados neste blog. Quando se clica no respectivo link (no exemplo acima, “Found 7 broken links“), é exibida uma lista onde maiores informações e opções são exibidas:

Broken Links Checker - Lista

Vale ressaltar que o plugin lista tanto os posts publicados quanto os rascunhos (drafts), o que também é bastante útil. Acima pode-se ver os 7 posts contendo links quebrados detectados aqui no Open2Tech. O plugin lista o “título do post”, o “texto do link” e a “url”. Mais à direita, podemos verificar todas as “ações” que o plugin nos permite tomar, as quais são:

  • View (visualizar): neste caso, o plugin apenas exibirá o post.
  • Edit post (editar o post): ao se clicar nesta opção, o plugin abrirá o referido post já no editor do WordPress, caso você deseje corrigir o problema manualmente e/ou efetuar quaisquer outras modificações no post.
  • Discard (descartar): se você clicar neste link, o plugin passará a desconsiderar o problema temporariamente, e o post contendo link(s) quebrado(s) em questão não mais será exibido pelo Broken Link Checker até que uma nova “verificação” seja feita pelo plugin, sendo respeitada a periodicidade de checagem acima mencionada.
  • Unlink (remover link): através desta opção, o plugin automaticamente remove o link com problemas do post. Por exemplo, se no post em questão a palavra “teste” contém um link para um endereço que não existe mais, através da utilização desta opção o plugin removerá o link da palavra e deixará o restante do post intacto, inclusive a referida palavra. Ela apenas não conterá mais link algum. Muito útil, não? :)

Este plugin é extremamente útil em qualquer blog. Eu mesmo, por exemplo, nem imaginava que existissem 7 posts com links quebrados aqui no Open2Tech (é claro, devo excluir da lista o post acima mencionado, com o erro “intencional”, sendo então a quantidade de posts com problemas reduzida para 6). :)

Agora, é claro, vou fazer uso desta excelente ferramenta e corrigir os problemas detectados. Por que você não faz o mesmo? A instalação do plugin é super simples, e sua utilização mais simples ainda. Aliás, achei este plugin simplesmente sensacional. :)

Informações adicionais

Link para download do “Broken Link Checker”:

http://downloads.wordpress.org/plugin/broken-link-checker.0.3.5.zip

Maiores informações a respeito do plugin (em inglês):

http://wordpress.org/extend/plugins/broken-link-checker

Site do desenvolvedor:

http://w-shadow.com/blog

Site do plugin:

http://w-shadow.com/blog/2007/08/05/broken-link-checker-for-wordpress

Compare preços de: DVD’s, cafeteira, chopeira, câmeras digitais Sony, cartão de memória, DVD player, Apple iPod, filmadora, monitor, consoles de videogame, notebook, celular

Protestos contra o bloqueio ao WordPress.com

Parece estar havendo uma certa mobilização por parte da blogosfera em relação ao possível bloqueio do WordPress.com no Brasil. Além de alguns blogs já estarem se manifestando contra o tal bloqueio, foi criado dentro do próprio WordPress.com um blog chamado “Não ao bloqueio do WordPress“, o qual disponibiliza inclusive alguns selos que podem ser utilizados em outros blogs, como forma de protesto.

O que vale destacar disto tudo é o fato de que a ordem judicial e o próprio bloqueio em si são totalmente descabidos, uma vez que um simples contato com o pessoal do WordPress.com resolveria o caso, como bem demonstrou o contato mantido pelo pessoal do blog pBlog com o Mark, do WordPress.com.

Simplificando: não teria sido muito mais fácil tentar o bloqueio somente do blog “problemático” através de um contato similar ao acima mencionado, ao invés da expedição de uma ordem judicial tão ridícula e que demonstra, acima de tudo, a total inépcia de nosso poder judiciário ao lidar com questões deste tipo?

Espero sinceramente que tal bloqueio não ocorra, e que sejam utilizados meios modernos, civilizados e simples para a resolução de tal problema. Problema que, aliás, teve suas dimensões aumentadas, infelizmente, devido à incompetência de nosso poder judiciário.

Esta “ordem judicial” seria extremamente cômica caso não provocasse problemas como os que provocará, caso o bloqueio realmente ocorra. Esquecendo por um momento a importância e/ou a segurança de ter seu site/blog hospedado em um servidor/serviço de hospedagem pago e não em um gratuito, vale ressaltar que o WordPress.com é um excelente serviço, que permite a qualquer um expressar suas idéias e seu conhecimento de forma gratuita. Além disso, existem ali ótimos blogs, com excelente conteúdo. Basta procurarmos. :)

É inadmissível que apenas pelo erro de um único desconhecido, toda uma “comunidade” pague um preço tão alto. O que nos resta é esperar que o bom senso impere, e que o WordPress.com continue acessível a todos os brasileiros.

Abaixo segue o banner criado pela campanha do “Não ao bloqueio do WordPress“. Se você puder, divulgue esta notícia e “campanha” em seu blog ou site:

Não ao bloqueio do WordPress.com

Compare preços de: micro system/mini system, mp3 player/mp4 player, auto-rádio CD player, home theater, monitor LCD, filmadora, celular, impressora, notebook

Justiça pode impedir acesso a blogs hospedados no WordPress.com

É, parece que o fantasma da censura vira e mexe ronda nosso país e seus meios de comunicação. O mais recente absurdo deste tipo possivelmente será perpetrado nos próximos dias, apenas porque um determinado blog (até o momento não se sabe qual), hospedado no serviço gratuito fornecido pelo WordPress.com, aparentemente apresentou/postou/inseriu algum conteúdo inadequado ou que feriu a imagem e/ou os sentimentos de alguém.

E a justiça brasileira, quase sempre estúpida “antenada” e reacionária “profunda conhecedora” das “leis” que regem a internet, todos os seus meandros e as implicações de um bloqueio deste tipo, simplesmente enviou uma ordem de bloqueio à Abranet (Associação Brasileira de Provedores de Internet), que por sua vez repassou tal ordem a todos os provedores de acesso associados. O que nosso judiciário parece ter esquecido é que tal bloqueio implicará no impedimento de acesso de todos os brasileiros ao serviço/site.

Será que nossa justiça entende o que solicitou à Abranet?

Censura2

Infelizmente, a justiça brasileira mais uma vez se mostra incompetente e retrógrada, se esquecendo totalmente que um bloqueio desta magnitude não é tão simples assim. Aliás, será que sequer se deram conta “do que” solicitaram à Abranet?

Seguindo a tal ordem de bloqueio, a Abranet afirma que os provedores de acesso já estão tomando medidas a fim de estarem prontos quando chegar o momento do bloqueio.

O grande problema é que, segundo a própria Abranet, para que a ordem judicial seja cumprida em sua íntegra, deverão ser bloqueados todos os endereços terminados em “wordpress.com”. Ou seja, se cada blog hospedado no serviço gratuito do WordPress.com é criado em um tipo de subdomínio do site, o que se obterá após o bloqueio é o impedimento de acesso a qualquer blog hospedado no serviço, inclusive ao próprio WordPress.com.

Por exemplo: meublog.wordpress.com, blogdoabreu.wordpress.com e o próprio wordpress.com seriam bloqueados. Lindo isso, não? :(

Resumindo

Trata-se de uma decisão totalmente ridícula e tomada por pessoa(s) que nada entende(m) de internet, que dirá de tecnologia e da avalanche de informações que nos atinge todos os dias. Trata-se, ainda, de uma decisão totalmente desproporcional em relação ao “fato gerador”, mesmo que o desconheçamos, pois uma simples denúncia ao WordPress.com poderia ter retirado em pouco tempo o tal blog do ar, sem que por isto, milhares de usuários do serviço no Brasil corressem o risco de perderem o acesso a seus blogs.

Na pior das hipóteses, o simples preenchimento do formulário contido neste link poderia fazer com que o pessoal do WordPress.com por si só tomasse as medidas cabíveis contra o tal blog. Acredite, eu já vi blogs com conteúdo impróprio serem retirados do ar pelo pessoal do WordPress.com pouquíssimo tempo após a denúncia. Então, porque este recurso não foi utilizado?

Acredito que a justiça brasileira ainda não enxerga a internet como uma “ferramenta de trabalho”, ou como um “facilitador”. O judiciário (e outros setores do governo) está repleto de criaturas retrógradas (lá vem essa palavra mais uma vez, mas ela se adequa muito bem ao contexto deste artigo), e para estas, é muito mais simples utilizar a maneira mais fácil e que fará muito mais alvoroço, do que simplesmente pedir a algum assessor, secretário, assistente ou seja lá quem for, para que acesse o site do WordPress.com e faça uma simples denúncia.

Garanto que o tal blog teria sido retirado do ar em muito menos tempo, e não teríamos sequer de tomar conhecimento de uma “ordem judicial” desta natureza, a qual representa, sem sombra de dúvidas, um retrocesso enorme e uma demonstração de completa burrice inaptidão por parte de nosso judiciário. Será justo punir a maioria apenas pelo deslize de um único cidadão?

É claro que basta uma pesquisa rápida na internet para encontrar diversas maneiras de burlar tal bloqueio (proxy’s, etc), mas isto não vem ao caso. O problema aqui é o ridículo bloqueio.

Parece que o Brasil corre um certo risco de ter muitos de seus meios de comunicação sob controle rígido, principalmente quando nos lembramos de “certo projeto de lei” que tramita no congresso, o qual tem por objetivo instituir controles os mais absurdos na utilização da internet. Será que veremos novamente a imagem abaixo sendo utilizada, só que desta vez, na tela de nossos computadores?

Censura na internet brasileira

Espero que não, e que um pouco de bom senso tome conta de nossos parlamentares e de nosso judiciário. Mas que dá medo, isso dá. :)

Fonte: G1

Compare preços de: playstation, câmera digital, DVD player, celular, notebook, PC, modem adsl, relógio de pulso, smartphone